segunda-feira, outubro 05, 2009

Como a Zelda conseguiu casar

Zelda é a minha faxineira. É uma figura. Agora que eu trabalho à noite, toda segunda-feira, o dia em que ela vem limpar, passo a tarde acompanhada.

Ela me olhou com um olhar de piedade DAQUELES quando eu comentei, hoje, que eu e o Rafa não somos casados. Na verdade, eu nem comentei que não somos casados, eu apenas corrigi ela quando, na 1.023º vez do dia ela se referiu a ele como "o teu marido". Mas ela ficou com pena de mim mesmo, PRA VALER, quando, eu disse que quero casar um dia.

Então ela resolveu me contar como levou o Antônio ao altar, PRA EU ME INSPIRAR. Antônio é o marido dela. Na família dela, a Zelda disse, "não tem essa de não casar". Depois de muitas idas e vindas com o Antônio, aos 35 anos, ela disse "ou vai ou racha". E foi. Segundo ela, com 10 padrinhos de um lado e 10 do outro, uma festança pra 340 pessoas - como ela conhece tanta gente, eu não sei.

A Zelda me garantiu, esperançosa, que se o Antônio casou, qualquer homem casa. E disse também que usou uma tática pra garantir que ele estivesse no altar na hora da cerimônia, a cartada final. Zelda colocou a melhor amiga dela GRUDADA no noivo o dia inteiro, como sombra. E funcionou.

Então, minhas amigas, a pergunta que fica é: quem se habilita?

3 comentários:

Michelle disse...

Será que ela não sabe uma maneira de arrumar um noivo?? Namorado... ou até mesmo um ficante sério?? heheheh
Uma figura essa Zelda (pena que não conheço)pelo jeito é melhor que a "mulher". Beijo. Mi

Flávia Moraes disse...

Huahuahauauh
Não será preciso, amiga. O Rafa BABA por ti e isso é visível!
Quando tu disser: quero casar hoje! Ele casa! :P
Mas se precisar, ajudo certo!

Bjoooss

R. H. H. disse...

Zelda era o nome da bruxa em uma peca teatral chamada "Deus Ajuda os Bao" e minha personagem no grupo de teatro no Ensino Medio. Sim, eu era uma bruxa com esse nome e a minha vassoura se chamava "Zora". Zelda e Zora. Que beleza!
Raquel Hirai (gostou do RHH?)